Páginas

sábado, 5 de julho de 2008

eu não caibo mais nas roupas que eu cabia,
eu não encho mais a casa de alegria,
os anos se passaram enquanto eu dormia...
eu não tenho mais a cara que eu tinha,
no espelho essa cara não é minha,
é que quando eu me toquei achei tão estranho...
será que eu falei o que ninguém ouvia?
será que eu escutei o que ninguém dizia?
(e às vezes eu acho que) não vou me adaptar, me adaptar...



A Poia às vezes lê meus pensamentos...
e essa música toda vez que toca,
cria uma conexão com o que vivo!


E realmente: EU NÃO VOU ME ADAPTAR!

Um comentário:

Edson Marques disse...

Locky,




"Deixe abertas as portas da Liberdade.
Nunca corte aquilo que pode ser apenas desatado". Simplesmente, vá
- dançando nas delícias todas que a vida tem."
(...)

Você publicou parte do meu poema em:
http://lockyfrock.blogspot.com/2007_09_01_archive.html


Agradeço pelo destaque dado.


Como vou publicá-lo amanhã novamente no blog, te convido a ler o poema todo, novamente.

Abraços, flores, estrelas..